Conecte-se

REPORTAGENS VISUAIS

REPORTAGENS VISUAIS#IMPEACHMENT DE DILMA

Verba volant scripta manent

Rafael Nascimento | Brasília (DF)

Após as eleições de 2014, o Brasil entrou em colapso político que culminou no afastamento definitivo, em 2016, da então presidente Dilma Rousseff

17 de jan. de 234 min de leitura
17 de jan. de 234 min de leitura
Tropa da polícia militar bloqueia acesso ao Congresso Nacional. Foto: Rafael Nascimento.

Nesse ínterim, o país viu surgir personagens bem e mal intencionados, observou as tramoias pelo poder, foi intolerante, agressivo e sentiu ódio pelo outro – mesmo o outro sendo alguém próximo.

No final, o golpe de estado foi dado e a democracia saiu derrotada.

Verba volant scripta manent - que em tradução livre significa "as palavras voam, os escritos permanecem" - foi a citação usada pelo antigo vice presidente da República, Michel Temer, como epígrafe da carta que endereçou à Dilma após o processo de impeachment ser acolhido pela Câmara dos Deputados.

Manifestantes fazem vigília a favor do impeachment de Dilma Rousseff. Foto: Rafael Nascimento.
Pedidos de impeachment são projetados no prédio do Congresso Nacional. Foto: Rafael Nascimento.
Cavalaria da polícia militar do DF é acionada para deter progresso de manifestantes. Foto: Rafael Nascimento.
Manifestantes chegam ao Palácio do Planalto e pedem saída de Dilma Rousseff. Foto: Rafael Nascimento.
O então juiz Sérgio Moro é idolatrado por manifestantes da direita. Foto: Rafael Nascimento
Manifestantes da esquerda levam faixas para frente do Congresso e pedem suspensão do processo de impeachment de Dilma Rousseff. Foto: Rafael Nascimento.
Frequente passeatas de apoiadores do PT são respostas aos levantes da direita, que clamam por impeachment de Dilma Rousseff. Foto: Rafael Nascimento.
Protestos da esquerda se tornam cada vez mais frequentes e apoiam permanência de Dilma Rousseff na presidência. Foto: Rafael Nascimento.
Ódio ao PT é simbolizado pela queima da bandeira vermelha. Foto: Rafael Nascimento.
Pedido de impeachment de Dilma Rousseff abre espaço para que golpistas também recebam holofotes. Foto: Rafael Nascimento.
Cavalaria da polícia militar age com truculência para dispersar manifestantes. Foto: Rafael Nascimento.
Centrais sindicais incorporam apoio à Dilma Rousseff nas manifestações de 2016. Foto: Rafael Nascimento.
Intervenção militar era desejo de uma minoria à época, mas já encontrava resistência de defensores da democracia. Foto: Rafael Nascimento.
Intolerância política foi uma das marcas daquele período e que permanecem até os dias atuais. Foto: Rafael Nascimento.
Muro de metal divide a Esplanada dos Ministérios e reflete os ânimos entre os que querem impeachment e os que defendem a continuidade de Dilma Rousseff na presidência. Foto: Rafael Nascimento.
Barracas militares instaladas no gramado da Esplanada servem de base para policiais atuarem no controle da multidão que acompanhará a votação do processo de impeachment. Foto: Rafael Nascimento.
O Brasil inteiro acompanha todos os trâmites do processo de impeachment de Dilma Rousseff nas comissões do Congresso. Foto: Rafael Nascimento.
No aeroporto de Brasília, as notícias estampadas nos painéis eletrônicos chama atenção dos passageiros. Foto: Rafael Nascimento.
Imprensa brasileira faz coro e clama pela saída de Dilma Rousseff da presidência. Foto: Rafael Nascimento.
Advocacia Geral da União divulga à imprensa documento de defesa da presidenta Dilma sobre as acusações de crime de responsabilidade fiscal. Foto: Rafael Nascimento.
Manifestantes acompanham em telões instalados na Esplanada dos Ministérios a votação do impeachment no Senado. Foto: Rafael Nascimento.
Cartazes culpam a imprensa brasileira de apoiar o impeachment de Dilma Rousseff. Foto: Rafael Nascimento.
A cada voto dos parlamentares fica mais difícil a permanência de Dilma na presidência. Foto: Rafael Nascimento.
"Tchau, querida": família e Deus são as justificativas preferidas pela grande maioria dos deputados que votaram a favor do impeachment. Foto: Rafael Nascimento.
Dilma discursa para multidão de apoiadores no seu último ato político na presidência da República. Foto: Rafael Nascimento.
A partir do impeachment de Dilma Rousseff, o Brasil nunca mais foi o mesmo. A democracia sofreu seu mais importante abalo desde a Constituinte, em 1988. Foto: Rafael Nascimento.

#IMPEACHMENT DE DILMA
DILMA ROUSSEFF
GOLPE DE ESTADO
INTOLERÂNCIA POLÍTICA
NÃO VAI TER GOLPE
TCHAU QUERIDA